A terapia de casal destina-se a casais que se encontrem em situações de crise (desemprego, reforma, educação dos filhos, doença ou morte na família), ou rutura familiar (separação, divórcio, problemas de comunicação), mas também pode intervir nos vários ciclos de mudança das famílias (início da relação amorosa, nascimento do primeiro filho, filhos adolescentes, saída de casa dos filhos adultos).

Problemas mais frequentes:

  • Dificuldades na comunicação
  • Medo de abandono e/ou traição
  • Problemas sexuais
  • Expetativas e uma visão do mundo diferenciadas
  • Divergências e expetativas diferentes quanto à educação dos filhos e resolução de problemas quotidianos
  • Dificuldades na gestão da economia familiar
  • Envolvimento excessivo na atividade profissional em detrimento da atenção necessária ao bom funcionamento da família

Aspetos mais frequentes visados pela intervenção psicológica:

  • Encontrar estratégias para promover a comunicação
  • Realçar os comportamentos positivos e desenvolver habilidades de gestão de conflitos
  • Negociar e equilibrar as diferenças individuais, visando o bem comum
  • Reestruturar padrões de comportamentos que promovem a discórdia conjugal e/ou familiar
  • Aprender a gerir as responsabilidades dentro do relacionamento
  • Analisar fatores que afetam a relação
  • Adquirir técnicas de mindfulness e desenvolver a aceitação
  • Procurar entender as necessidades do outro
  • Compreender e respeitar as necessidades do Eu, do Tu e do Nós, procurando aumentar a satisfação conjugal e familiar

As famílias têm frequentemente recursos para recuperar das situações de crise e de stress, neste tipo de terapia cabe ao casal comprometer-se com o processo mudança. Este comprometimento em conjunto com o conhecimento terapêutico poderá promover a proximidade emocional do casal, através da expressão de sentimentos, desejos e necessidades.

Através da adversidade procura-se a transformação, aprendendo, mudando, crescendo e aceitando o que não pode ser mudado. Ninguém pode voltar atrás e fazer novos começos, mas qualquer um pode começar agora e promover novos fins.